Cadastre-se Grátis

Benefícios de ser cadastrado:

- Crie sua lista de videos favoritos
- Poste seus videos favoritos
- Vote nos videos que mais gostar
- Ganhe prêmios
- Cadastro Grátis e Rápido

Clique aqui para se cadastrar
0 votos
Baixar APP GrátisBaixar APP GrátisBaixar APP GrátisBaixar APP Grátis
Os diferentes tipos de tomate - Veja as características, os preços e escolha o ideal para saladas, molhos e até drinks
O tomate é um fruto que surgiu na América do Sul, na região da Cordilheira dos Andes, e foi descoberto e levado para a Europa entre os séculos 15 e 16, no período das Grandes Navegações. Desde então, se popularizou, principalmente depois que a Itália desmitificou a ideia de que era um fruto venenoso. No Brasil, há oito tipos de tomates entre os mais consumidos. Além da origem das sementes, várias características determinam quais são os tipos ideais para molhos, saladas, espetinhos e até drinks! Conheça as diferenças entre eles, inclusive de preços, e saiba quais comprar na próxima feira.

image
Tomate Carmem

Conhecido também como tomate Longa Vida, é o mais consumido no País, responsável por cerca de 75% da produção. Tem alta durabilidade graças aos genes da composição, mas esses mesmos genes também influenciam no sabor e no aspecto. É um tomate mais aguado e amarelado, ideal para salada, mas **** para molhos, que tendem a ficar mais alaranjados e sem sabor. Custa em média R$5,98 o quilo.

image

 

Tomate caqui ou tomate gaúcho

É um tipo que costuma ser graúdo, alguns chegam a pesar quase 500 g. Não é um tomate incrível para molhos, mas é excelente, por exemplo, para fazer vinagrete, já que não é muito adocicado, mas bem fresco. Custa em média R$ 6,80 o quilo.


image

 

Tomate holandês


Costuma ser vendido em bandejas com os ramos juntando os frutos. É importante prestar atenção se o ramo está bem verde. Se estiver com um tom marrom não está bom para consumo. É um tomate mais adocicado e excelente para salada. Tem esse nome porque era importado da Holanda, mas hoje é plantado aqui. É mais caro por ser raro. Uma bandeja com 600 g custa em média R$ 7,59.

image

Tomate Débora

Também é conhecido como tomate combate. É um curinga porque serve para fazer salada e molho. É menos ácido que o Carmem, mas tem mais sementes. Também é muito indicado para fazer tomate seco. O quilo custa em média R$ 8.

image

Tomate italiano

As pessoas reconhecem mais facilmente porque tem um formato alongado. É o melhor tomate para fazer molhos porque tem menos sementes e é bem mais carnudo. Também é ideal para fazer o drink Bloody Mary, já que seu suco é menos aguado e o sabor, mais concentrado. A desvantagem é que dura pouco tempo e não é dos mais baratos. Está em média R$ 9 o quilo.

image

 

Tomate cereja

É um minitomate com bastante líquido e sabor bem refrescante. É ideal para saladas e também para fazer canapés e espetinhos. A bandeja com 250 g custa em média R$ 3,99.

image

 

Sweet grapes

Tem o formato parecido com o de uma uva, por isso o nome. É o tomate italiano em versão mini e está na moda nos restaurantes vegetarianos ou que focam em saladas. É mais adocicado, carnudo e caro. A bandeja com 180 g custa em torno de R$ 5,99.

 
Dica importante! Nunca refrigere tomates. Eles devem ser armazenados fora da geladeira e com o topo, onde fica o ramo, para baixo.

Veja as diferenças entre polpa, extrato, molho refogado, pelati e ketchup, derivados do tomate:

Polpa de tomate

Não tem pele e nem sementes. Deve ser usada para realçar o sabor dos tomates in natura. Também é levemente concentrada com quantidades pequenas de água, sal e açúcar e não é temperado.

Molho refogado

É a polpa de tomate levemente concentrada com cebola, alho, salsa, cebolinha, manjericão e outros
ingredientes especificados na embalagem. Há opções peneiradas ou com pedacinhos de tomate. É prático, basta esquentar e acrescentar os temperos e especiarias que desejar.

Extrato de tomate

É uma base de tomate mais concentrada. Também é acrescido de sal e açúcar. É mais utilizado para dar cor, sabor e consistência aos pratos e encorpar os molhos naturais.

Tomate pelati

É o tomate sem pele e cozido dentro de um vidro esterilizado e tampado (no caso industrial na lata), em banho-maria, por cerca de meia-hora. O pelati italiano utiliza, via de regra, variedades de tomates alongados, como o San Marzano (tomate italiano), tidos como os melhores para se fazer pelati, pois têm cor vermelha forte, menos sementes, são mais doces, carnudos e firmes. Mas no Brasil não há exigência quanto ao tipo de tomate usado para fazer o pelati. Podem usar tomates frágeis e menos saborosos que os italianos.

Ketchup

É um molho preparado com polpa de tomate temperado com especiarias, sal e açúcar, mas que pode conter outros ingredientes, como óleo, ovo, limão e vinagre.
 
Fonte: Gourmet
http://gourmet.gruposinos.com.br/_conteudo/2015/07/home/194926-os-diferentes-tipos-de-tomates.html




Navegue por interesse pelas tags abaixo:
753 visitas Mai 30, 2017